Archive for julho \31\UTC 2009

Enquetes mundo afora

julho 31, 2009

A ferramenta de enquetes do orkut é muito útil, afinal há sempre alguém querendo saber a opinião das pessoas. O problema é quando as pessoas não conseguem entender realmente o que o “cabra” está querendo saber.

Pelo menos um dos nomes ele conseguiu escrever corretamente.

Pelo menos um dos nomes ele conseguiu escrever corretamente.

Mas é isso aí…

O que importa é que o Randy Orton “still champion”. Ou não…

As URL's estão ficando cada vez mais simples...

As URL's estão ficando cada vez mais simples...

Seria Orton um campeão de aço?

Este post é um oferecimento do CNA…

Inglês afiadissimo!

Inglês afiadissimo!

Violência para os jovens

julho 30, 2009

De tempos em tempos nós esbarramos com questões que nunca se calam. Uma delas é se assistir luta-livre é uma atividade sadia, principalmente para as crianças. As vezes a questão do script alivia essa situação. É “falso” logo não é violento… Ou é? Bom, o fã de luta-livre não liga para isso, ou simplesmente convive com a violência de uma forma que ela é até nescessária. Tem gente que discorda e acredita que precisa expressar isso… Em comunidades de luta-livre.

Graciosamente...

Graciosamente...

Bom, se esse cara cresceu mesmo assistindo Rin Tin Tin, metade da história se explica.

Agora uma coisa é certa: Ele tem a familia mais esquisita que eu já ví!

Bela familia!!!!

Bela familia!!!!

Graciosamente: Kwellada-Kid.

Crônica do Mark – A verdadeira história de HHH (Parte 1)

julho 27, 2009

Olá, colegas noobs. O Kwellada não quer mais atualizar este blog e fica delegando a mim a tarefa de escrever as crônicas. Sei lá, acho que ele quer seguir o caminho do Spirit e ver seu blog ficar famoso após a morte. Pode ser isso, pode ser preguiça, mas eu nunca fujo ao desafio de falar sobre pro-wrestling com todo o meu conhecimento. Então, hoje eu vou falar sobre o maior câncer do pro-wrestling, o homem que acaba com carreiras e federações. Estou falando de Triple H.

Paul Michael Levesque nasceu em Nashua, New Hampshire, em 27/07/1969. Fã de pro-wrestling e de Ric Flair, Paul começou a brincar de backyard wrestling com seus amigos e não aceitava perder nunca. Ele falava mal dos amigos para outros, fazia má fama de todo mundo que se recusava a perder para ele e só desmentia se o sujeito aceitasse perder para ele. Foi no backyard wrestling que Paul Levesque conseguiu seu primeiro creative control. Porém, aos dezenove anos, Paul foi eleito Teenage Mr. New Hampshire e despertou a ira do segundo colocado, que achava que Paul havia usado o seu “creative control” para ser o vencedor. O sujeito conhecia os traficantes locais (para falar a verdade, ele foi patrocinado pelo tráfico) e jurou Paul de morte. A família Levesque, sem alternativa, resolveu se mudar para Greenwich, Connecticut, adotando o nome de Hunter Hearst Helmsley.

Nesta época, Hunter tentou engrenar sua carreira no pro-wrestling e ingressou na WCW em 1993, com o nome de Terra Ryzing. Porém, o patrocínio do provedor Terra foi por terra e a WCW fechou com a IG, aí Hunter teve que mudar de nome, adotando Jean-Paul Levesque. O problema voltou a bater à porta de Hunter dois anos após sua estréia, quando a WCW foi fazer um show em Nashua. Os traficantes locais ouviram o nome Levesque e logo lembraram da dívida de sangue que Paul tinha. Hunter teve que abandonar a WCW às pressas e foi parar justamente na maior rival, a WWF. Mesmo assim, seu período na WCW foi ótimo, porque foi lá que nasceu seu finisher: Pedigree.

O golpe fatal de Triple H

O golpe fatal de Triple H

Por ser um sujeito posudo e metido a rico, Hunter adotou um gimmick de aristocrata ao estrear na WWF. Hunter Hearst Helmsley, o Aristocrata, começou por baixo e ficou lá um bom tempo, até que surgiu a oportunidade de ganhar a confiança da elite branca americana.

Vendo um sujeito maltrapilho, fedido e voltando do trabalho direto para a luta, Hunter Hearst Helmsley o desafiou para um combate. O duelo entre Duke the Dumpster – O Gari e Hunter Hearst Helmsley começou fraco, porque o Aristocrata não queria sujar suas mãos bem tratadas batendo naquele imundo gari. Duke não gostou e partiu para cima, mas era um jobber velho e acabou levando um Pedigree, perdendo para o Aristocrata. Ali começava a nascer a lenda.

Hunter era malandro e gostava de passar a perna nos outros. Logo se juntou a Shawn Michaels e os dois viraram grandes amigos. Com seus outros dois amigos, Kevin Nash e Scott Hall, montaram um grupo chamado The Kliq, que só servia para atazanar os outros pobres trabalhadores que circulavam nos bastidores e levantava a moral do grupo. Com isso, Hunter e Michaels foram longe na companhia, enquanto Nash era campeão mundial e Hall era campeão intercontinental. O grupo recebeu Sean Waltman, o eterno 1-2-3 Kid, que também tinha interesse em evoluir na companhia. Porém, o máximo que Waltman conseguiu foi fazer uma ponta (uma pontinha, quase uma cabecinha) em um filme de Chyna. The Kliq influenciava em tudo o que acontecia na WWF, desde os combates até os campeonatos de tranca e truco que rolavam entre os funcionários da companhia.

Shawn Michaels, grande amigo de Triple H

Shawn Michaels, grande amigo de Triple H

Após isto seus grandes amigos Kevin Nash e Scott Hall não continuariam na companhia, Hunter e Shawn Michaels desafiaram a dupla para um combate dentro da temida jaula de aço. Após o combate, houve uma quebra de kayfabe e os quatro lutadores se abraçaram no centro do ringue, no episódio conhecido como The MSG Incident. Ali, a carreira de Hunter sofreu um baque imenso. De astro ascendente, favorito ao título do King of The Ring e number one contender, Hunter foi rebaixado a jobber de superstars, perdeu a chance de ser campeão e foi obrigado a namorar Chyna. Campeão intercontinental naquele ano (1996), Hunter achou que sua punição havia acabado, mas perdeu o título para Rocky Maivia apenas quatro meses após vencer. Para piorar, foi obrigado a feudar com Goldust, de longe o ser mais bizarro da WWF naquela época.

A maior quebra de kayfabe

A maior quebra de kayfabe

Porém, Hunter nunca desiste, maquiavélico como é o aprendiz de Mussolline começou a traçar a sua volta. E foi assim que junto a seu amigo Shawn Michaels e com ajuda de seu namorado o travesti Chyna, ele começou a boicotar a maior estrela da companhia: O canadense Bret Hart. Tanto fizeram, que conseguiram causar a demissão de Bret Hart, no episódio conhecido como Montreal Screwjob (para saber sobre Montreal Screwjob, clique aqui). Em uma reunião com Vince McMahon, os três e Hart Foundation acordaram que a luta terminaria empatada. A reunião se encerrou ali, mas Hunter continuou na sala e encheu tanto o saco do patrão que ele acabou aceitando mudar o roteiro. Bret Hart perdeu e foi demitido. A primeira vítima de grande porte foi atingida.

Assim, Hunter Hearst Helmsley voltou a se unir a Shawn Michaels. Eles não estavam regenerados, mas sim degenerados e foi aí que nasceu a D-Generation X. Era para ser só D-Generation, mas Hunter ainda namorava Chyna, a estrela do maior filme X daquele ano e eles foram obrigados a aceitá-la no grupo e na nomenclatura. Ainda faltava um membro e como foi a época que Hunter foi a mocinha da relação, chamaram Rick Rude, também conhecido como “O Carinhoso”. Eles começaram a encher o saco de Bret Hart e humilhar o Canadá. Como Bret Hart já não estava na companhia, as baterias se voltaram a seu irmão, Owen. Após muito tempo de humilhação, Triple H conseguiu afastá-lo permanentemente do pro-wrestling. Há quem diga que Owen Hart não despencou, mas sim soltou a corda que o prendia, porque sofria de depressão profunda, causada pelo bullying de Triple H e sua trupe.

Nesta época as coisas pioraram mais ainda. Triple H ganhou o torneio King of the Ring e se tornou The King of the Kings. O sujeito era o rei, ninguém podia fazer mais nada a respeito. Ele estava quase no topo do mundo, só faltava uma coisinha para ele ter toda a companhia nas mãos e o que lhe faltava chegou em 2000. Finalmente após encerrar seu relacionamento com Chyna, sofrendo de dores imensas nas nádegas e com as costas doloridas de agüentar o peso da lutadora, Triple H conheceu Stephanie McMahon. Galanteador que é, Triple H caiu em cima da moça e eles engataram um romance, que virou casamento. O sujeito é tão Joselito que obrigou Vince McMahon a fazer o casamento deles ao vivo, durante um show da WWF!

O casamento de Triple H e Stephanie

O casamento de Triple H e Stephanie

Na próxima crônica você lai ver a continuação dessa história sórdida e conhecer a forma como HHH tomou conta da WWE dando o golpe do baú.

Review do Noob – ECW 21/07/2009

julho 22, 2009

Mais um review aqui no meu, no seu, no nosso Universo Noob…

Dessa vez teremos o programa mais legal (falido) da WWE… A ECW. Vamos fazer um resumo do que aconteceu na terra do Ex-Treme.

024051s6s

O show já começa com um combate entre Yoshi Tatsu (nome medonho) vs William Regal. Antes da luta Regal diz que odeia todos os estrangeiros. Mataram a piada?

Combate muito bom pra começar o show. Regal dominou completamente no inicio, full nelson, exploder suplex, double underhook suplex, além de uppercuts e joelhadas. Yoshi escapou de um chin lock e deu um belo euzigiri. Em seguida o japa deu belos chutes, chops… Na verdade, pancadas que só o Regal se propõe a levar hoje em dia na WWE.

Yoshi se livrou de um running knee lift e acertou um roundhouse kick para o pin.

Bom combate, boa vitória. Detalhe que o Yoshi já trocou aquela calça medonha. Só falta trocar a musica, o finisher e a nacionalidade, aí ele vai ter futuro na WWE.

Yoshi comemora antes de retornar a poke-bola

Yoshi comemora antes de retornar a poke-bola

Em seguida temos o “Batista Negro” Ezekiel Jackson vs Dunha. Sinceramente eu não me preocupo com nome de jobbers locais.

Big boot, Lariat, Side Slam… Fim. Ufa!

Depois desse longo combate, Vladimir Kozlov vem ao ringue e aplica o seu Iron Curtain e vai embora. Entrou mudo e saiu calado e ninguém entendeu nada.

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

Após isso é exibido um segmento do WWE.com em que as Divas respondem perguntas de fracassados com problemas amorosos. Derrota total.

E seguida temos o Gold Standing vs Goldust. Combate bem dourado na sua telinha.

Lutinha rapida. Goldust acertou um knee lift no corner, Shelton contra-atacou com snake eyes e neckbreaker. Shelton prendeu Goldust em um inverted dragon sleeper, Goldust escapou e contra-atacou com um powerslam. Goldust ainda acertou um inverted atomic drop, bulldog e legdrop, mas Shelton saiu no dois.

Shelton saltou por cima da ultima corda puxando a cabeça de Goldust contra a corda (by Randy Savage) em seguida voltou ao ringue para aplicar o Pay Dirt e fazer o pin. Bom combate eu só não sei qual a finalidade do Shelton na ECW de novo!

Shelton refresca o sovaco!

Shelton refresca o sovaco!

No backstage Seamus diz que a ECW precisava de um irlandês que não fosse um leprechaum, que não usasse um bastão ou que não fizesse dancinhas no meio do ringue. Eu também acho. Além disso fazer promos enquanto toca o tema do lutador de fundo é uma coisa terrivel.

Seamus faz a sua promo no ECW.

Seamus faz a sua promo no ECW.

Ainda no backstage Paul Burchill é entrevistado… Ele contava como perderia mais um combate quando é interrompido por Goldust com Sindrome de Tourette. Você não sabe o que é isso? Pesquisa no Google.

Tyler Reks vs Paul Burchill é o ultimo combate da noite.

Caralho a Katie Lea é muito gostosa… Voltando a programação normal…

Tyler começa acertando um flying clothesline e um back body drop. Burchill acertou um double flying knee nas costas de Reks depois deste ser distraido por Katie Lea que é uma puta de uma gostosa… Burchill ainda prendeu Tyler em um chin lock, depois acertou um samoan drop, mas não conseguiu fazer o pin. Tyler acertou um flapjack e um belo springboard front dropkick, mas terminou em near fall. No final Burchill tentou acertar o surfista no corner e acabou recebendo um roll up e levando o pin. Vitória de Tyler Reks. Após o combate Burchill ainda atacou Reks enquanto este saia do ringue.

Burchill manteve a média de derrotas, mas se vingou no final!

Burchill manteve a média de derrotas, mas se vingou no final!

O programa fecha com um segmento. Abraham Washington recebe Christian e Tommy Dreamer. Aliás quem gozou na cabeça daquele malandro?

O aprendiz de David Letterman faz piadinhas sobre o peso de Dreamer e diz a Christian que ele tem o rosto feito para aparecer no rádio. Christian retrucou dizendo que o show dele foi feito para a “Public Access TV”. Essa eu também não vou explicar, voltem a o Google.

Christian toma para sí os créditos na tag team division e diz que vai recuperar o titulo. Dreamer diz que teve sucesso ao ganhar o titulo e em defende-lo depois. E foi basicamente isso. Os dois promovendo o combate e Abraham Washington fazendo piadinhas horriveis.

O programa termina com os Dreamer e Christian se estapeando.

Slap my bitch up!!!!

Slap my bitch up!!!!

Bom show esse da ECW. Três combates decentes e um segmento final meio morno mas com bom desempenho no microfone. Agora e esperar o Night of Champions só pra ter uma certeza. Acabou pro Dreamer.

Ohhh... Katie Lea!!!!

Ohhh... Katie Lea!!!!

Review do Noob – Monday Night RAW 20/07/2009

julho 21, 2009

Você deve estar pensando… “Review aqui no Universo Noob?”. Orás o blog é meu e eu faço o que quiser. Mas não é bem isso, afinal, os blogs estão acabando. Até o bestial Wrestlemaniacos fechou as portas. Como eu prevejo que em alguns meses não existirão mais blogs de luta-livre brasileiros eu preciso reciclar o material do UN. Logo logo ficarei sem assunto nessa porra.

Pois é, o Universo Noob está começando a cair na vala comum.

Vamos ao Review…

Reviews no UN... uhuuuuuu!!!

Reviews no UN... uhuuuuuu!!!

O RAW começa com o “The Champ” John Cena. Ah o Cena não é campeão, danem-se, eu gosto de chama-lo assim.

Cena vem ao ringue todo meninão, dando a entender que o pó era do bom. Começa uma daquelas promos engraçadinhas terriveis que só ele sabe fazer. Promove a presença do ZZ Top no RAW como “special host” e relembra o main event da Wrestlemania 24 que foi Ric Flair vs Shawn Michaels (tá eu sei que não foi, mas eu prefiro considerar que foi).

O main event da Wrestlemania 24 (na minha cabeça).

O main event da Wrestlemania 24 (na minha cabeça).

Randy “Robocop” Orton aparece e relembra Cena que ele venceu o main event da Wrestlemania (o verdadeiro). E Cena respondeu com mais piadas sem graça e nexo além de chamar Orton para a porrada. Rhodes e DiBiase aparecem e cercam o ringue. Os três estavam prontos para atacar Cena quando Triple H resolve aparecer.

HHH diz que não está preocupado em ganhar o título, mas sim impedir Orton de rete-lo. Hunter e Shena fazem piadinhas sobre Orton ter perdido para Seth Grenn, eu não rí. E “A Vibora” (ui), sugere um 3 on 2, Legacy vs HHH e Cena. Mais piadinhas… Whatever, eles aceitam.

Robocorton e a suas meninas

Robocorton e a suas meninas

Olha, eu não posso dizer que o Cena não é bom com um microfone, mas o pior do Cena, desde que ele era um Doctor of Thuganomics (pfff) são as tentativas de ser engraçadalho. É terrivel, não tem como simpatizar com um cara desses.

Durante todo show tivemos vinhetas com o ZZ Top tocando musicas que 10% do público do RAW conhecem, acompanhados do Santino com uma barba falsa. Tivemos o Chris Jericho sendo colocado no ringue contra o Mark Henry, o Chavo Guerrero irritado pela forma que está sendo tratado e tendo que lutar com o Hornswoggle de smoking e se fudendo de novo. Mulheres dançando e o Santino tirando a roupa. No final eles ainda apareceram na arena, mas pouca gente na arena deu atenção. So fucking lame…

Enquanto isso em uma comunidade “oficial”…

Como pode ser foda se ele não conhece?

Como pode ser foda se ele não conhece?

Kofi Kingston, Primo e MVP venceram Big Show, Jack Swagger e Carlito.

Sim também temos combates no Zorra… no RAW. Cinco dos seis participantes desse combate lutarão no Night of Champions em um Six Pack Challenge pelo Us Championship. A unica exceção é o Primo que só estava alí para bater no irmão Carlito. O sexto competidor que não participou é The Miz. Combate até maneirinho em que a ação começou com Kofi e Swagger no ringue. Depois do intervalo (como em 99% das vezes) Kofi estava preso em uma submission hold. Big Show atacou Kofi com chops e headlock, Carlito ainda aplicou um vert suplex e dropkick. Kofi conseguiu um head-scissor em Carlito e fez a tag com Primo.

Primo aplicou dropkick, legdrop da segunda corda em Carlito e tentou o pinfall. Swagger quebrou a contagem MVP e Kofi limparam o ringue, jogando Big Show e o All American in American of American on American pra fora. Big Show voltou e por engano acertou um spear no Caribean Cool. Primo acertou um diving headbutt em Carlito e fez o pin no irmão. Após o combate Big Show nocauteou todo mundo.

Olha a cara de mau dele no telão!

Olha a cara de mau dele no telão!

Jerry Lawler venceu Brian Kendrick. Vou bancar o booker agora…

“Kendrick é o seguinte: Você vai lá e provoca o King e isso assim teremos argumentos suficientes para um combate. Simples assim. Eu sei, não faz muito sentido, mas nós temos alguns minutos e a palhaçada com o Chavo não vai durar mais do que o suficiente para o público suportar. Então vai lá e faça e sem muitas perguntas, por favor.”

E assim nasceu um combate em que o Kendrick deu uns chutes, um euzigiri, single leg dropkick errou o sliced breed #2, tomou um diving punch da segunda corda e o pin. Seria até divertido se não fosse tão manjado.

Mickie James foi entrevistada de cima de um palco, ao estilo do antigo WWF Superstars, ponto positivo. Ela diz que domingo será a noite dos campeões e não a noite das vagabundas (eu juro que isso funciona em inglês). The Miz interrompe a entrevista elogia Maryse e diz que daqui a alguns anos Mickie estará trabalhando em uma casa de waffles (e eu vou lá comer waffle). Maryse aparece e joga spray de cabelo no rosto de Mickie. Ok ela vai entrar para o Beautiful People.

Beautiful People style!!!

Beautiful People style!!!

Mark Henry “Cristo” venceu Chris Jericho via DQ. Henry mais lento do que nunca, arremessou Jericho, aplicou um giant swing lento pra caraleo. Jericho respondeu com um bulldog e foi para o Walls of Jericho (pelo tamanho do Henry, pareciam as muralhas da China). Fora do ringue, Jericho atacou Henry com uma cadeira e o referee terminou com o combate. Depois Jericho foi para o Codebreaker, mas Henry reverteu para um World Slowlest Slam!

Hornswoggle venceu Chavo Guerrero em uma luta de smoking…

Oh my Gosh...

Oh my Gosh...

Nos bastidores Ted DiBiase e Code Rhodes debatem com Chris Jericho, os dois tiram onda de Jericho e pergutam quem é o pai dele (sério isso). Jericho diz que tem mais titulos que eles e o pai deles juntos (toma). Jericho diz que todo o roster do RAW quer formar tag com ele e que o seu parceiro pode ser até Randy Orton.

Alicia Fox e Rosa Mendes venceram Kelly Kelly e Gail Kim. Foi até melhor do que eu pensei que poderia. Kelly Kelly mandou suas hurricarranas meio tortas e headscissors, além de whirlybird e um handspring elbow em Alicia. Gail também acertou um hurricarrana (essa fez direito) e tentou um crossbody, mas foi pega no alto por um dropkick de Alicia. No final Kelly e Gail acertaram um double dropkick em Rosa. Gail foi para um pescado em Rosa e Alicia fez um sloppy small package em Kelly, conseguindo o pin. Detalhe para o desinteresse de Cole e King para esse combate, Don West não faria pior!

Segundo Cole, Alicia acertou o joelho de Gail Kim.

Segundo Cole, Alicia acertou o joelho de Gail Kim.

John Cena e HHH venceram Randy Orton, Cody Rhodes e Ted DiBiasinho.

Combate movimentado, com o público bastante agitado e torcendo muito para os faces. Tudo o que a WWE gosta em main event. Os heels trabalharam muito em HHH com socos, submissions, total heel style. Randy foi para o RKO, HHH se livrou, acertou o Double A Spinebuster e fez tag com Cena. Cena acertou um 5 Knucles Shuffler e foi para o STFU. DiBiase salvou o Rhodesinho, mas foi jogado pra fora por HHH. Orton tentou um Punt Kick em Cena que se esquivou e fez um roll up em Orton, conseguindo o pin.

Superman e Diabo Loiro se cumprimentam após a vitória!

Superman e Diabo Loiro se cumprimentam após a vitória!

A cara de furia do Orton foi digna daqueles atores das simulações da Igreja Universal. Coisa de profissional.

O que dizer sobre esse show?

Parece que os redatores do Zorra Total e da Praça é nossa invadiram a WWE, resolveram fazer um show de comédia pifio e esqueceram que domingo tem um PPV. É… Se o PPV domingo receber o mesmo cuidado que o RAW o negócio vai ficar realmente muito feio. Quando eles tentaram exibir um pouco de wrestling até que não foi ruim, agora o nível de comédia foi tão bom quanto o do John Cena.

Ihhhh... Showzinho nojento! Tchammmm!!!!!

Ihhhh... Showzinho nojento! Tchammmm!!!!!

Crônica do Mark – Donald Trump vs Vince McMahon

julho 17, 2009

Olá colegas noobs, o Kwellada pediu para mim escrever mais uma crônica e eu fiquei com vontade de escrever sobre um acontecimento que agitou o Raw nas últimas semanas. A eterna batalha de bilionários, que resultou na compra do Monday Night Raw!

Donald John Trump. Acredita que ele tem 63 anos?!?

Donald John Trump. Acredita que ele tem 63 anos?!?

Donald Trump é um magnata bilionário, com salário de 32 milhões de dólares anuais. Mas o que ninguém sabe é que nem sempre foi assim. Donald é sobrinho de um quaquilionário famoso e esperava aprender muito com ele e, quem sabe, até herdar este fortuna toda quando o tio viesse a falecer. O problema é que o tio é sovina, mão de vaca, pão duro e não ajudava muito o sobrinho, a não ser oferecendo trabalhos difíceis, por salários baixos. Donald resolveu adicionar o sobrenome Trump e montar uma marca com isso, justamente porque trampava para o tio. Tal marca prosperou e Donald (agora Trump) montou a Trump organization, com vários cassinos e hotéis ao redor do mundo.

Donald, trampando para seu tio quaquilionário

Donald, trampando para seu tio quaquilionário

Agora podre de rico e bem sucedido, Donald começou a freqüentar a alta sociedade americana. Lá conheceu Vince McMahon, de quem tornou grande amigo e rival. Por que amigo e rival? Porque bilionários são assim, freqüentam os mesmos eventos, jogam golfe e bridge juntos, se ajudam para encontrar aquelas vagabundas de vinte e poucos anos, as chamadas esposas-troféus, mas são rivais porque querem figurar acima do outro na lista dos 100 mais ricos do mundo, da Forbes. Vincent Kennedy McMahon todo mundo conhecem. Se você não conhece, veja a história da WWE clicando aqui

Melania Knauss-Trump, a esposa troféu

Melania Knauss-Trump, a esposa troféu

Já o troféu do Mcmahon tá meio derrubado!

Já o troféu do Mcmahon tá meio derrubado!

(Melania Knauss-Trump, a esposa troféu)
Além de amigo de Vince, Donald é fã assumido de wrestling e, por este motivo, resolveu usar a amizade para participar do show mais de perto. O Trump Plaza já sediou dois eventos do Wrestlemania, a quarta e a quinta edição, que foram disputadas em Atlantic City, New Jersey. Bilionários são mais mimados do que a Sasha e, por este motivo, Donald bateu o pezinho para participar ativamente da maior festa do Wrestling. Ele conseguiu entrar em contato com Bobby Lashley, à época lutador da WWE, e juntos montaram um esquema. Lashley começou a provocar o lutador samoano Umaga para um combate no Wrestlemania XXIII.
Vince não entendia o que Bobby queria com Umaga e só entendeu após começar a chover dinheiro no ginásio onde o desafio foi proposto. Vince não imaginava que era Donald quem andava por trás disso! Vince, malandro como é, resolveu apostar na maior vaidade que Donald Trump tem: seus cabelos! Com isso, eles apostaram que cada um ia patrocinar um lutador e o perdedor da luta teria que raspar toda a cabeleira. Como é notório no mundo do Show Business, Donald se recusa a mudar o penteado, em todos os anos de carreira. Temendo a pernada de anão de Vince, que é um tremendo de um trapaceiro, Donald sugeriu um juiz. Vince aceitou e Donald indicou Stone Cold Steve Austin.

A luta foi dramática e Austin arbitrou muito bem. Ao final, após uma batalha intensa, Bobby Lashley venceu e Vince tentou fugir. Mas, pego por Austin, Vince não teve outra alternativa a não ser raspar a cabeça. Donald, Lashley e Austin comemoraram raspando a cabeça do bilionário perdedor.

Vince perdeu e teve que raspar o fuá...

Vince perdeu e teve que raspar o fuá...

Em 15 de junho de 2009, Vince McMahon e Donald Trump voltaram a ser o centro das atenções no meio do wrestling. Em uma negociação difícil, com propostas e contrapropostas, Vince finalmente bateu o martelo e vendeu o Monday Night Raw a Donald Trump. Donald, então, passou a comandar o programa de wrestling das segundas à noite e anunciou várias mudanças. Uma delas seria fazer o primeiro Monday Night Raw sem comerciais da história, em mais de 15 anos de transmissão. O programa foi até legal, mas já pudemos ver algumas mudanças, como os narradores comendo frango frito de KFC, além de Orton e Triple H se enfrentarem em uma last man standing duríssima. Também se notou que o novo dono do programa rasgava dinheiro para umas coisas (devolveu o dinheiro dos ingressos, algo em torno de 235 mil dólares), mas comprou material de qualidade baixíssima, como a escada que não suporta o peso de um homem e ocasionou a Triple H a perda da vitória na last man standing.

Raw Commercial Frango, sob o comando de Donald Trump

Raw Commercial Frango, sob o comando de Donald Trump

Na semana seguinte, prevendo que seu império desmoronaria com um gastador daqueles no comando, Vince tentou negociar com Donald a compra do programa de volta. Porém, percebeu que havia um plano maligno, justamente para derrubar seu império. Donald comprou o Monday Night Raw com o intuito de revendê-lo a outro amigo bilionário, por uma grana bem maior. Vince percebeu a armadilha e ofereceu a Donald o dinheiro que havia sido pago na semana anterior, o que foi negado. Vince ofereceu 25, 50, até 75% a mais e Donald negou. Desesperado, Vince resolveu oferecer o dobro do dinheiro, o que Donald finalmente aceitou. Mais rico ainda, Donald ouviu de Vince as tão temidas palavras (Donald Trump! You’re FIRED!) e, com isso, deu um tapão na cara do amigo. Vince jurou que Donald nunca mais aparecerá na WWE, mas alguém acredita nisso?

Donald sentiu o cheiro primeiro e disse que foi Vince quem soltou

Donald sentiu o cheiro primeiro e disse que foi Vince quem soltou

Enquanto isso…

julho 16, 2009
FAIL!

FAIL!

Unanimidade

julho 13, 2009

Nelson Gonçalves dizia que toda unanimidade é burra. Eu discordo dessa afirmação, para mim unanimidade é questão de bem comum. Ou mal comum, mas não de burrice.

Bem, a verdade é que não existe unanimidade, até mesmo no que se refere a pró-wrestling. A quem diga que John Cena e Batista são os piores lutadores da atualidade, mas muitas pessoas gostam dos dois. O Mark por exemplo é grande fã do John Cena, assim como o Matt do Wrestling Spirit que é fã numero um do Batista.

Um dia desses navegando pelo orkut ví a maior prova da inexistência de unanimidade.

Dizem que Ric Flair é o maior pró-wrestler de todos os tempos, o homem que definiu a indústria dentro do ringue nos termos que ela se encontra atualmente. Uma lenda viva…

Mas nem todo mundo acha isso…

Ric Flair e seus momentos patéticos!

Ric Flair e seus momentos patéticos!

Bruno “The Rock” é um “grande fã” de Ric Flair além de comentar os momentos da carreira de Ric Flair, ainda usa o seu cérebro para imaginar confrontos lendários.

O confronto do século!

O confronto do século!

Aliás falando em confronto de lendas!

Wooooooooooooooooooooooo!!!!!

Wooooooooooooooooooooooo!!!!!

Mas o Bruno não é o unico que odeia o Flair, outras pessoas também e por diferentes motivos.

Pois é...

Pois é...

Ok o cara é o unico que odeia o finisher do Flair, mas não é o unico que acha que ele é viado!

The Gayest Player in the Game?

The Gayest Player in the Game?

Mesmo que o grande Ric Flair seja gay, o que não é verdade, óbviamente não há problema algum. Aliás a sexualidade não define a capacidade de uma pessoa. É claro que em um universo quase que totalmente masculino como o da luta-livre é muito dificil não existir esse tipo de comportamento preconceituoso.

Quando eu digo quase é porque sempre existe espaço para a diversidade.

Mais um que gosta de chupar gordo!

Mais um que gosta de chupar gordo!

Crônica do Mark – Extreme nunca mais

julho 9, 2009

Olá colegas noobs, o Kwellada pediu para mim escrever mais uma crônica e eu fiquei batendo cabeça para pensar em algo original e não escrever as mesmas coisas que todo mundo escreve por aí. Então eu resolvi tratar sobre algo inédito na blogosfera. Vamos falar da ECW!

ecw13ym6

A ECW pra quem não sabe, nem sempre foi da WWE, antes ela pertencia a um cara chamado Paul Heyman e era uma federação bem pequena. Lá eles faziam combate bem hardcore, com arame farpado, porretes, fogo, metralhadoras e napalm. De lá surgiram grandes lutadores que marcaram a história da luta livre, Blue Meanie, Terry Foley e Balls Mahoney por exemplo. Aliás eu tenho muito medo do Balls Mahoney, porque além dele ser o lutador mais feio da história, ele também é da igreja do capeta. Acho que tenho que rezar pela alma desse senhor.

Balls Mahoney é feio pra diabo. Literalmente!

Balls Mahoney é feio pra diabo. Literalmente!

Mas a ECW acabou falindo e o dono dela vendeu o que restou para o dono da WWE Vince Mcmahon. “O que restou”, leia-se o nome e o arquivo em videos e imagens. Alguns lutadores da ECW também acabaram indo para a WWE.

Em 2005 a WWE resolveu fazer um PPV em que por apenas uma noite a ECW estava de volta. O PPV se chamou One Night Stand e fez muito sucesso. Todos aqueles bebados, velhos e maltrapilhos estavam lá no ringue de volta. E os fãs nerds, gordos e white trash’s da ECW também compareceram. Teve fogo, ralador, arame, sangue, cerveja… Tudo que tinha na ECW antigamente. Com isso o PPV acabou fazendo muito sucesso.

Fãs da antiga ECW!

Fãs da antiga ECW!

Vincent Kennedy Mcmahon que não é rico a toa percebeu que podia tirar um pouco mais de dinheiro dali e resolveu montar o cenario para trazer a ECW de volta e começou a anunciar que o Extreme estava retornando. Em 2006 foi realizado o segundo One Night Stand. Um PPV onde infelizmente o meu idolo John cena foi muito desrespeitado, mas ele é um grande soldado e enfrentou a todos. Uma pena que ele perdeu a luta, mas ele foi muito melhor que o seu adversario RVD. Como diz o nosso amigo da WW BRASIL Potter, o Cena é hardcore.

Fã em apoio ao Cena.

Fã em apoio ao Cena.

O segundo ONS fez sucesso e em seguida estreiou a ECW agora da WWE. O novo programa de tv assim como antigamente tinha muito extreme. Até o grande Batista foi lá ser extreme e apesar do pessoal xingar ele, o cara foi sensacional. Apesar de eu nem lembrar da luta.

Batista brilhou muito na ECW!

Batista brilhou muito na ECW!

Depois disso o Vince começou a fazer mudanças no programa. Primeiro ele mandou o Paul Heyman que era o GM da ECW embora. Ele fez certo, porque se ele vendeu, não tinha que mandar em nada. Além disso ele era muito chato, ficava dizendo que era o messias da ECW, quando o unico messias que eu conheço realmente é o Henry Cristo.

No fim a WWE acabou transformando a ECW em mais uma de suas brands, nada mais de hardcore e nem extreme. A ECW começou a ser celeiro de novas estrelas. Grandes revelações como Rick Ortiz e Braden Walker surgiram no programa. Além do Jack Swagger, Evan Bourne e o jamaicano campeão da América Kofi Kingston.

O lendario Braden Walker e o seu maiô de baleia!

O lendario Braden Walker e o seu maiô de baleia!

Na minha opinião a WWE faz certo com a ECW, esse negócio de extreme é muito chato, apesar até de eu gostar daquela musica “No More Words”.

Os caras ficam enchendo o saco. “Cena sucks”, “Tommy Dreamer, não sei o que…”. Esse Tommy Dreamer é um velho gordo chorão. Tommy Sonhador deve ser porque ele comeu muito sonho e por isso virou uma balofo porpeta.

Concluindo a melhor coisa mesmo é acabar com esse negócio de extreme, fazer só lutas normais mesmo, soco, voadera, cabeçada… Até porque dar cadeiradas nos outros é covardia e tem uns muleques dementes que ficam imitando os lutadores em casa.

Dementes que imitam os lutadores em casa!

Dementes que imitam os lutadores em casa!

É isso aí, extreme nunca mais.

O Expert – Capitulo 7

julho 7, 2009

Voltamos para mais um capitulo da nossa série preferida… O Expert. E nesse capitulo falaremos de um tipo de fã de wrestling que é predominante em todas as vertentes. O Expert mal-humorado.

Esse expert é muito confundido com smarks, fãs que odeiam as big leagues, mas na verdade hoje em dia os smarks tem muito mais noção das possibilidades da indústria do que um mark, fãs novos de wrestling, ou para ser mais especifico, um fã ocasional da WWE.

Expert em dia de segunda-feira!

Expert em dia de segunda-feira!

Antigamente o fã de luta-livre apenas acompanhava o desporto pela tv, logo a interatividade com outros fãs era mais dificil. Hoje em dia com o advento da internet além de assistir ao vivo programas como o RAW, você pode ao mesmo tempo interagir com outros fãs via orkut, fórums, chats e aí que você vai ouvir uma série de besteiras durante duas horas de transmissão.

Comentario digno de um expert!

Comentario digno de um expert!

O mal humorado nunca está satisfeito com o que está assistindo, por exemplo, todos os PPV’s da WWE são ruins, não importa a qualidade. O pior é quando o cara esquece que o que menos importa é o resultado da luta, afinal tudo segue um script. Claro, é muito divertido torcer, aliás torcer por algo que é escrito por alguém pode parecer idiota, mas é o que faz a luta-livre ser diferente de outras modalidades esportivas ou de outros programas televisivos. Mas você julgar um evento porque o final não foi o que você esperava?

Expert nada feliz com os "resultados".

Uma coisa que sempre chama a atenção é que o expert mal humorado sempre reclama dos roteiros apresentados nos programas de luta-livre. O famoso “A culpa é dos bookers”. Eu vejo muita gente reclamar de falta de criatividade, segmentos idiotas e blá blá blá. Eu fico me perguntando se o Alan Moore é roteirista da WWE ou da TNA. Porque exigir de um booker criatividade é um pouco demais. É claro que já surgiram idéias sensacionais ao longo dos anos, mas essas coisas acontecem periodicamente. O minimo que a gente pode exigir é uma histórinha decente e olha lá. Tem nego que quer Oscar de roteiro original.

Alan Moore e o time de bookers da WWE!

Alan Moore e o time de bookers da WWE!

Uma reclamação recorrente entre os experts mal-humorados é sobre a duração das feuds. O expert é um tanto quanto mal apressado, sem paciência e se cansa rápido.

A frase recorrente é: “Não aguento mais fulano vs fulano”, “que falta de criatividade”, “de novo sicrano no main event”. Eu fico imaginando o que diria um cara desses a alguns anos atrás quando o Chris Benoit e o Kurt Angle viviam em feud e isso aconteceu durante 3 anos. E o que falar de Brock vs Angle, The Rock vs Stone Cold… Alguém pode dizer que as feuds citadas foram boas, mas isso é muito relativo. Edge vs Undertaker foi uma feud muito boa para a maioria e mesmo assim teve gente que reclamou, não aguentava mais. Eu lí a declaração de um fã que não aguentava mais a feud Chris Jericho vs Shawn Michaels, eleita quase que unanimamente como feud do ano. Isso depois de inumeros dois combates.

Feud eterna!

Feud eterna!

Existe também aquele expert mal-humorado de anti-matéria. Ele quer bagunçar tudo, ver tudo ao contrario. O John Cena, Rey Mystério, Jeff Hardy, CM Punk, Triple H… todos os faces precisam virar heels. Em contra-partida Edge, Y2J, Randy Orton, Magneto… Todos tem que virar faces. Eu sinceramente não consigo explicar uma coisa dessas. Talvez ser do contra, causa um efeito contrario no cérebro.

Mas não são apenas os fãs de WWE que são tomados pelo mal humor. A própria TNA acabou ganhando seus novos destratores. Os inimigos do Russo por exemplo, os que odeiam os ex-WWE e por aí vai. Também tem aqueles que já não gostam muito da ROH depois que ela foi parar na tv.

O culpado de tudo, Vince Russo. Segundo a Dayaninha é um deja vu!

O culpado de tudo, Vince Russo. Segundo a Dayaninha é um deja vu!

Na minha humilde opinião a velocidade da internet acabou criando no só no wrestling mas em várias outras vertentes um tipo de fã mais critico o que por um lado até é bom. Mas em compensação existem as famosas “Marias vão com as outras”. Os que vão na crista da onda, falar mal do Cena apenas por falar, odiar o Triple H, torcer pelos heels. E dizer que o Colin Delaney é underrated. Sim tem gente que via o Colin Delaney como main event material. E tem gente que já o esqueceu, o que é até mais justo!

O maior underrated da história!

O maior underrated da história!

Esse post é dedicado ao Matheus e Igor, os mais bem-humorados da WW BRASIL ao lado desse que escreve!

E ao Gui ao qual eu prometi uma participação aqui no UN!