Archive for outubro \30\UTC 2009

Coluna do Swagger – Edição 1

outubro 30, 2009

Olá amiguinhos noob, eu sou o Jack Swagger, vocês devem me conhecer, pois eu já estreei aqui no Universo Noob.

jackj

É claaaaaaro que eu não sou o Jack verdadeiro, é só um nome de guerra, mas o Kwelladinha pediu para eu escrever uma coluna aqui no Universo Noob, já que eu fiz muuuuuito sucesso. Bom na minha coluna eu vou comentar os babados do mundo da luta-livre. Afinal eu costumo ver esse mundo com outros olhos, minhas amigas até me chamam de “zóio de régua” por causa disso.

vernissage_masp08_f_007

Olho de régua!

Essa semana a noticia que balançou o coreto no mundo do pró-wrestling foi a contratação de Hulk Hogan pela TNA Wrestling. O Hulk que já é um tiozinho de 56 anos mas tá com tuuuuudo em cima. Com um azulzinho ainda da um caldaço.

JGFL 200806 A

O véio ainda da um caldo!

Na comunidade “Oficial” muita gente ficou agitada com a aparição do Hogan na coletiva de imprensa, ao lado da Dixie Carter presidente da TNA que estava em um modelito eleganteeeeerrimo que casou muito com as suas belas formas e a deixou muito jovial. O Hulkezinho também estava muito bem de rosa, minha cor preferida.

dixie

Chiquééééééééééérrimos!!!

Apesar do pessoal não gostar muito do Hogan porque ele não sabe lutar muito bem, ficaram muito empolgado mesmo.

tremedeira

AAAAAAAAAAAAIIIIIIIIIIII que poder tem esse Hogan!!!!

Gentennnn eu achava que só eu me tremia todo vendo lutas. Até fiquei suado agora, me lembrei do meu lutador preferido, o Shelton Benjamin.

Imagine quando o Hulk começar a lutar e aplicar um atomic legdrop com aquelas pernas massivas… Ui!

Nooobs outra coisa que me chamou a atenção na “Oficial” foi um debate óooootimo. Um amigo levantou uma discussão que foi o ó.

Vejam só:

sunga

Sunguinha é o que há!

Aaallloooowwwww gentem imagine o que seria da luta sem esses homens fortes de sunguinha. Não teria graça nenhuma. Eu sempre vou a praia de sunguinha minuscula branca e nem é tão desconfortável. Além de ser uma loucura pra dançar axé!

E não é novidade que as suguinhas dos lutadores fazem sucesso entre os noobs!

Alguém tem fantasias com a sunga do Batista!

Alguém tem fantasias com a sunga do Batista!

Nooobas eu preciso ir, mas eu juro que volto, assim que tivermos novidades. E antes de ir eu quero mandar um beijo para o João Noobão… Me liga gato!

Ele já esteve lá!

outubro 28, 2009

Olá amigos noobs hoje faremos um post especial aqui no UN, a algum tempo não tirávamos onda de nenhum blog tosco por aqui, é que eu ando com preguiça de procurar mesmo, mas eles ainda existem aos montes. Para matar essa minha preguiça uma coisa maravilhosa aconteceu, caiu no meu colo um show de pérolas sensacionais.

O nosso herói da luta-livre nacional Michel Serdan resolveu ligar a metralhadora giratória e disparar contra as pessoas que o acusam de ter acabado com a luta-livre no Brasil. Não vamos entrar nesse mérito por enquanto, essa iniciativa acabou fazendo com que eu desse uma melhor olhada no maravilhoso blog do nosso Iron Sheik brasileiro!

A primeira coisa que me chamou atenção no blog do Gigantes do Ringue foi um vídeo gravado pelo mesmo com a ferramenta de video-blogs do uol. Temos 3 vídeos no blog, os dois primeiros eu já havia visto em 2008, mas não interessam muito, são só uma tentativa de fazer informativos sobre a WWE, isso já tínhamos no WWE Talk Show. O terceiro é muito bom, pois Michel Serdan da uma aula de história contando a origem da luta, uma boa iniciativa.

Logo no inicio Serdan nos surpreende dizendo que o primeiro vencedor de uma competição de luta ainda nos jogos olímpicos foi Teseu, na Grécia antiga, quando enfrentou o Minotauro. Dando um longo salto na história Serdan chega a WWF, nos anos 90 o chefão da WWF foi obrigado a dar uma entrevista para declarar abertamente que aquelas lutas eram coreografadas e tem mais ele aproveitou a ocasião e mudou o nome da companhia para World Wrestling Entertainment, já que havia a confusão com a instituição ambiental e agora ele queria deixar bem claro que se tratava de entretenimento. A versão Serdan dos fatos deve ser respeitada, afinal ele estava lá.

Aliás na versão do Serdan o Antonio Inoki é nissei, mesmo tendo nascido no Japão, de pai japoneses e com nome japonês, Kanji Inoki.

Mas Serdan só gravou três vídeos, uma pena, são bem informativos.

Ok, vamos também dar um salto na história, outubro de 2009, o blog dos Gigantes do Ringue volta a ser atualizado. O texto postado é um desabafo de Serdan onde ele se defende das acusações de ter “acabado com a luta livre brasileira”.

Era melhor ele ter escrito "merchan" apenas.

Eu cheguei a assistir o programa da Tv Gazeta que tinha até qualidade quando as coisas envolviam o Xandão e a Bia, mas eu não vou ficar analisando algo que já saiu do ar. O melhor mesmo são as declarações de Michel. Essa história que o próprio Serdan colocou na cabeça e sai espalhando por aí de que a WWF só contratava fisiculturistas e blá blá blá é… Blá blá blá. É claro que Mcmahon já declarou que prefere caras grandes, que homens grandes dão mais lucros, mas mesmos os grandes e musculosos se dedicavam apenas ao pró-wrestling, alguns saíram do futebol americano, outros do basquete ou até da greco-romana, mas por um motivo muito simples, os EUA é um país que incentiva praticas esportivas desde a pré-escola até chegar a universidade e assim o cidadão quando acaba se envolvendo com o pró-wrestling já praticou diversas outras modalidades.

Os grandes lutadores, os caras que realmente fizeram sucesso na industria do pró-wrestling chegaram ao topo porque tinham paixão pela modalidade. No fim a trupe de fisiculturistas do Michel o maximo que vão conseguir é fazer figuração no SBT, contribuição para luta-livre brasileira que é bom, necas.

Quem foi???

Quem foi???

O Michel Serdan não enterrou a luta livre brasileira, mas agora ele resolveu atacar as outras federações. É claro que ele não cita nomes, tá certo, sabemos porque.

Ainda bem que o semáforo estava funcionando.

Ainda bem que o semáforo estava funcionando.

Nos EUA, país onde a luta-livre rende mais grana e é mais popular existem diversas federações que fazem eventos em fundo de quintal, ginásios de escola, terreno baldio, ferro velho, em qualquer lugar que seja possível montar um ringue. Imagine no Brasil, onde a luta-livre não tem espaço na TV, não tem apoio algum. Essas iniciativas deviam ser aplaudidas. Assim como eu acho valido a incessante tentativa do Michel de arrumar um horário na TV para o seu programa.

Agora momento didático no Universo Noob: O Semáforo (também conhecido popularmente como sinal, sinaleira e farol) é um instrumento utilizado para controlar o tráfego de veículos e de pedestre nas grandes cidades em quase todo o mundo. Utiliza uma linguagem simples e por isso de fácil assimilação. É composto geralmente por três círculos de luzes coloridas. O controle semafórico permite alternar o direito de passagem na zona de conflito de uma interseção. O cálculo dos tempos no controle são gerados a partir das limitações físicas das vias que se interceptam e dos tempos perdidos no controle. Tempos perdidos no controle são aqueles que efetivamente não são utilizados pelos veículos ou pedestres para cruzar a interseção, tal como os tempos de amarelo ou de vermelho de segurança (todos os grupos focais permanecem indicando a cor vermelha), por exemplo.

Sim o semáforo do Serdan estava com a ordem alterada e seria genial se os lutadores estivessem obedecendo o semáforo, seria uma semáforo match. Eu só não sei como eles fariam uma porra dessas… Mas ok!

O maior evento da história de Votuporanga!

O maior evento da história de Votuporanga!

Esse post é ótimo.

Eu não sei na época desse show, mas segundo o IBGE até 2009 Votuporanga conta com uma população de 81.279 habitantes. Isso quer dizer que praticamente todos os moradores de Votuporanga resolveram comemorar o aniversario da cidade vendo o show dos Gigantes do Ringue e segundo o Serdan, pagaram por isso e não foi com um quilo de sal. Já já voltamos nesse assunto.

O Serdan também viu a Wrestlemania 25, achou sensacional, colocou a WWE em uma de suas piores crises na história, apesar da empresa nunca ter lucrado tanto em sua história. E sinceramente, quem me conhece sabe que eu sou um dos maiores fãs do HHH mas se aquele foi um dos maiores combates que o Serdan já viu, eu ofereço o meu acervo pra ele assistir.

serdan

Serdan meteu o pé de vez!

Certamente essa informação do grande show para 80.000 pessoas em Votuporanga causou suspeitas não só aqui, mas o Serdan faz questão de bater o pé e confirmar o grande público que o GDR recebeu na cidade. Não podemos chama-lo de mentiroso sem provas, mas é muito fácil para o Michel confirmar o ocorrido, publica uma foto tirada no dia, mostrando o grande público que lá esteve e já era. Porque eu me recuso a acreditar que tivemos um show no Brasil, com o mesmo público recorde da Wrestlemania e não tiraram uma foto.

Me arrisco a dizer que esse é o maior público para um evento de luta livre na América do Sul.

Outro ponto interessante é quando ele cita o Igor Lopes. Me parece que o Igor nem participou dessa reportagem e sim o lutador Sonic. Bom se o Sonic disse ao Batista e ao Khali que o público da BWF é em média de 100 pessoas é porque é verdade. Ou ele deveria ter dito que luta para 80.000 pessoas? Acho que foi importante mostrar as dificuldades de praticar luta livre aqui no Brasil e foi sobre isso a reportagem. O Michel Serdan também esteve no encontro, teve contato com os lutadores, deviam ter feito uma reportagem com ele, assim ele poderia contar o quão glorioso é ser lutador aqui no Brasil.

punk

Muitas estrelas já lutaram para 100 pessoas.

Alias o cara que monta o ringue do GDR deve ter se sentido um merda.

Ainda tem um outro texto contando os bastidores da vinda da WWE para o SBT, nenhuma novidade pra falar a verdade.

serdan2

shane

Depois de trocar porrada com o Hulk Hogan, ainda tivemos um amistoso com Shane Mcmahon.

Serdan é pop.

wwecomentarios

Ele realmente esteve lá

2vl9v0o

Shane preferiu não trocar uns golpes com o Marcos Amaral!

Crônica do Mark – Backyard Wrestling

outubro 23, 2009

Olá noobs ao redor do mundo, estou de volta para mais uma crônica emocionante, cheia de fatos esclarecedores que enriquecem a nossa IWC. Hoje, eu vou falar do Backyard Wrestling!

Os Reis do Backyard!

Os Reis do Backyard!

O pro wrestling é uma febre nos Estados Unidos e isso não é novidade para ninguém. Lá, além das gigantes WWE e TNA e das federações independentes mais famosas, há inúmeras academias onde se pode praticar o velho e violento esporte que não é bretão. Mas nem todos conseguem arrumar um lugar para treinar, seja por falta de dinheiro, tempo ou vontade. E a maioria não consegue chegar ao estrelato, por motivos mais do que óbvios. Então, a saída é brincar no fundo do quintal e daí surgem as backyard plays.

Estes adoram brincar de backyard samba

Estes adoram brincar de backyard samba

É comum vermos em filmes americanos aquela tabela de basquete pendurada na porta da garagem ou o pai e o filho jogando uma bola de baseball ou futebol americano um para outro, no quintal de casa. Não é comum em filmes, mas nós conhecemos muito bem aqueles que montam ringues toscos ou camas elásticas ou simplesmente não montam nada, brigando e usando o que têm à disposição, como latas de lixo, cadeiras, brinquedos antigos e outros itens. É no fundo do quintal que surgem grandes lendas dos esportes ianques. Wayne Gretzky espalhava obstáculos no quintal e, taco em punho, saía driblando-os até concluir para o gol. Hoje, é considerado o Pelé do hóquei, detendo o recorde em gols, assistências, pontos e vários títulos da Copa Stanley e com a seleção do Canadá. No pro wrestling, nomes como os Hardy Boys e Mick Foley por exemplo.

Foi assim que Gretzky começou

Foi assim que Gretzky começou

Pois é espelhado nestes exemplos que muitas pessoas se arriscam em meio a acrobacias, cadeiradas e golpes perigosos, seja pelo sonho de um dia ser descoberto por um olheiro da WWE que passa em frente à sua rua no exato momento em que você está dando aquele Senton Bomb, seja pela simples diversão de imitar o seu ídolo. Como já explicado, nos Estados Unidos, muitos amigos se juntam e montam seus próprios ringues. Federações surgem, como a IWF (Insane Backyard Wrestling Federation), IYWHA (In Your House Wrestling Alliance), HEB (Hardcore Extreme Backyard), assim como lendas neste esporte/diversão, como Cryptic, Diablo, Serge, Slash, Major Wood. Cinturões de madeira, papelão e couro são criados, bem como feuds que a vizinhança acompanha com interesse. É comum espalhar tachinhas pelo chão e esfregar a cara do oponente em cima delas.


Cryptic vs Diablo – A Feud

Mas por que isso acontece? O que leva estes sujeitos a se automutilarem, se nem a fama de um Colin Dellaney eles terão? A explicação não pode ser encontrada, mas ao menos lá, há toda uma cultura voltada ao pro wrestling e praticamente toda cidade tem um evento de luta livre para manter vivo o sonho de brincar de lutinha. O que não dá para entender é como isso se espalha ao redor do mundo e o Brasil não é exceção nesta história. Só que, no caso tupiniquim, há uma certa falta de compreensão do que é realmente backyard wrestling.

O fenômeno WWE no SBT fez surgir vários experts em pro wrestling que, mais cedo ou mais tarde, conheceram o backyard wrestling. Só que a falta de conhecimento da língua inglesa e a soberba que acompanha o sujeito que conheceu a WWE no SBT, migrou para a TNA, para as japonesas e para as indys, faz com que ele não saiba ao certo o sentido de backyard wrestling, pensando (ou melhor, tendo certeza), que se você brincar que é o Jeff Hardy e lutar contra oponentes imaginários, está praticando backyard wrestling. Uma rápida procura no youtube indica que vários garotos da geração Dáblio Dáblio Ih, Luta Livre na Tevê (com uma rima bem estranha) filmaram suas lutas backyards no pátio do colégio, durante o recreio, colocando músicas dos lutadores da WWE na edição final. É engraçado ver esses vídeos, pois quando um golpe pega errado (e não acontece poucas vezes), a criança se retira da filmagem para chorar um pouco e volta, tempos depois, com os olhos inchados. Outros chegam ao limite de dizer que se não tem sangue, nem lâmpadas quebrando, não é backyard wrestling.

Gente sanguinaria!

Gente sanguinaria!

Há um certo limite em brincar de luta livre e fazer backyard wrestling. A primeira opção é o gênero, do qual a segunda é espécie. Brincando você pode jogar no vídeo game, pode brincar com AFs, pode lutar com seu cachorro, as almofadas, os bichos de pelúcia, bater na irmãzinha… mas praticar o backyard wrestling é um pouquinho mais do que isso. Não é simplesmente pegar um monte de colchões velhos ou um monte de pneus usados, juntar tudo, colocar quatro gravetos, um em cada canto, passar 3 cordinhas de nylon e pronto, você é um backyarder.

Há até quem jure que os maiores lutadores brasileiros em todos os tempos, Góis Mysterio e Bigmen, começaram no backyard wrestling, onde estão até hoje, na reclassificação para entrar para a WWE. O problema de quem quer seguir a carreira de Jeff Hardy desde o backyard wrestling é esse. Essa carreira dá um barato…

O Fantastico Gois Mystério!

O Fantastico Gois Mystério!

Voltando ao backyard wrestling americano, os “lutadores” levam seus corpos ao limite, se atirando de alturas inimagináveis, caindo de costas em tachinhas, quebrando lâmpadas na cabeça e batendo em seus oponentes com antigos videocassetes e Ataris. Isso preocupa aqueles que vivem disso e, sem querer, influenciam os fãs a praticarem os golpes no fundo do quintal. Com o crescente número de contusões sérias e até mortes, a WWE lançou uma série de vídeos pedindo que os fãs não pratiquem a luta livre em casa ou na escola. Alguns argumentam que estão praticando fora de casa e da escola e continuam a fazer isso, mas os acidentes também continuam e o melhor é deixar que os profissionais façam isso por nós. Por isso, please, don’t try this!

Don't try this!

Don't try this!

Classicos nunca morrem!

outubro 18, 2009

Esse é mais um post da série que não chega a ser uma série “Clássicos nunca morrem”. Dessa vez teremos um momento nostalgia aqui no Universo Noob [OFICIAL], relembraremos um momento em que as fronteiras se romperam, um momento em que o sonho se tornou real, o dia em que finalmente a WWE retornou ao Brasil.

O idolos dos WWEmaniacs brasileiros!

O idolos dos WWEmaniacs brasileiros!

Eu sou do tempo do saudoso Supercatch na Manchete, programa apresentado por Carlos Valadarez e Bob Léo que exibia no Brasil as lutas da WWF. As lutas eram repetidas em looping, não obedeciam cronologia, nem feuds, nem datas, mas era legal, porque ninguém sabia o que estava acontecendo lá fora. Então era bom.

Eu acho que o programa foi exibido entre os anos de 1995 e 1997, agora me falha muito a memória e eu não vou pesquisar até porque não é o assunto central. O importante mesmo é que essa foi a primeira grande experiencia brasileira com a luta livre americana (na verdade é a segunda, mas pouca gente lembra e então é melhor deixar passar) e ficou marcado na memória de muita gente. O interessante é que em 95, principalmente no Brasil não havia interação via internet, então a única forma de você saber que não era o único maluco que assistia aquilo era na escola, comentando com seus amigos e quando o Carlos Valadares mostrava as cartas dos “amiguinhos telespectadores” com uns desenhos cada um mais tosco que o outro. É claro que o Undertaker era o cara que recebia mais versões “toscamente cartunizadas”.

Manifestações carinhosas de fãs do Supercatch!

Manifestações carinhosas de fãs do Supercatch!

O Coveiro era o mais homenageado!

O Coveiro era o mais homenageado!

Ok, a WWF foi para o vinagre, a Manchete também, eu me lembro de ficar sabendo que a WCW era exibida na ESPN, mas por falta de informação do que era a WCW acabei nem ligando. Em 2000 eu fiz a minha primeira estada nos EUA e voltei a ter contato com a WWF, um pouco diferente do que eu conhecia é claro, mas mesmo assim me tornei mais fã ainda. Em 2001 retornei para o Brasil e claro fiquei mais uma vez órfão de luta livre, na verdade nem tão órfão assim, porque tinha os Gigantes do Ringue… Bem… deixem pra lá. Mas eu já tinha um bom acesso a internet e conseguia acompanhar de alguma forma, pedia algumas fitas VHS pela internet que chegavam três meses depois, acessava o site da WWF que era horrível, comprava alguns action figures e assim eu me tornei um fã da WWF que nem assistia muito, mas consumia. Bem, esse texto não é sobre as minhas manias de consumo esquisitas, vamos retornar ao tema.

Eu ainda guardo as minhas fitinhas!

Eu ainda guardo as minhas fitinhas!

Em 2005, a WWF já se chamava WWE a muito tempo e retornou ao Brasil, no canal FX. Eu lembro que descobri isso em um domingo de manhã, quando zapeava pelos canais e acabei esbarrando em um combate horrível, Rey Mysterio e Batista vs William Regal e JBL, eu me lembro que naquela altura eu já baixava os programas semanalmente pela internet, já havia assistido aquela praga mas fiquei feliz por ver que estava sendo exibido no meu país, mesmo que fosse com mais de um mês de atraso e ainda por cima era o Velocity que nem passava os combate por inteiro, a não ser que fosse do low card. Além do Velocity depois transmitiam o WWE Experience que era um boletim semanal de tudo que acontecia na WWE e também tinha um puta atraso. Mas eram dois programas WWE ao mesmo tempo no Brasil.

Eu não era fã do Orkut, tinha total aversão, me recusava a ter uma conta, recusava todos os convites que me enviavam (a única forma de abrir uma conta era se alguém lhe enviasse um convite). Só em 2006 com muita insistência de amigos eu resolvi abrir uma conta, e uma das primeiras coisas que fiz foi ir em busca de uma comunidade sobre WWE e acabei encontrando duas. Mas foi na WW BRASIL que eu acabei me instalando definitivamente, naquela altura o canal FX já exibia os primeiros episódios da WWECW e o que mais me chamava a atenção é que eu encontrei pessoas que tratavam o assunto da forma mais séria possível sem aquela coisa de “assisti na Manchete e tenho saudades” ou “era de mentirinha, mas era legal” ou “o Coveiro morreu de verdade?”. Eram fãs pra valer, tanto que a maioria está lá até hoje.

Havia muito carinho e união nas comunidades de luta livre!

Havia muito carinho e união nas comunidades de luta livre!

Porque eu estou contando essa história que não era nem pra ficar tão longa assim?

No final de 2007, depois de muita especulação, depois de apagar vários tópicos com a mensagem “onde passa?”, finalmente veio a confirmação oficial, a WWE iria voltar ao Brasil e pelo SBT. A essas alturas não fazia a menor diferença pra mim, porque no mesmo ano 2006 eu fui viver na Alemanha e lá vários programas da WWE são exibidos em diversos horários, mas fiquei feliz com a noticia, porque essa nova oportunidade abriria as portas da luta livre no Brasil novamente (ou não), mas o melhor, eu tinha certeza que eu iria rir muito de certas situações, eu só não esperava que seria como foi.

O primeiro grande momento foi a vinda dos astros da WWE ao Brasil para o lançamento do produto. Houve uma grande mobilização na WW BRASIL, primeiro para montar uma espécie de delegação/comitiva para ir até o encontro com os tais astros. Infelizmente eu não posso tirar um print, mas montaram até uma comunidade das pessoas que supostamente confirmariam presença no encontro. Rey Mysterio fake confirmou, além do Sabu e outras estrelas fakes que claro nunca apareceram por lá. Acho que ficaram presos no Motel fake!

Vieram ao Brasil como é sabido… Great Khali, Batista e Melina. Várias pessoas foram ao encontro, apareceram em uma reportagem do site Uol, nos deram momentos de vergonha alheia e viraram fãs incondicionais de Batista e Khali, dois dos lutadores mais odiados da atualidade e na época então nem se fala, pois faziam uma das piores feuds da história do pró-wrestling interplanetario.

Misteeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeecofcofffghurffghurrrfffrrr Kennedy!!!

Misteeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeecofcofffghurffghurrrfffrrr Kennedy!!!

Fãs da WWE também causam medo!

Fãs da WWE também causam medo!

Great Khali foi homenageado por um cover!

Great Khali foi homenageado por um cover!

O encontro no hotel levou até mulheres a frequentar a WW BRASIL e como sempre o Arthur deu-lhe as boas vindas!

Pelo menos não era a Dayaninha!

Pelo menos não era a Dayaninha!

A WWE estreiou então no SBT, no final de 2007 ou começo de 2008 e é claro, por causa disso existem espaços como UN, afinal o aumento quantitativo de noobs, acabou levando ao aumento na mesma medida de blogs, comunidades oficiais, experts, aberrações…

Infelizmente a passagem durou muito pouco, mas graças ao acesso rápido a informação, acesso a banda larga, youtube, tv’s online… A chama que se acendeu não morreu e ainda temos aí vários fãs de luta livre, experts que odeiam a WWE, que odiavam a transmissão do SBT, mas morreram de ódio quando o Silvio tirou do ar.

Fã da WWE que não gostava da transmissão mas lamentou o cancelamento. *Eu escondi indentidade do João para preserva-lo!

Fã da WWE que não gostava da transmissão mas lamentou o cancelamento. *Eu escondi indentidade do João para preserva-lo!

O certo é que existe um antes e pós WWE no SBT e o depois é bem mais divertido.

Fiquemos então com uma coletânea do que melhor aconteceu nessa época de ouro:

Fã com ejaculação precoce já previa bem antes!

Fã com ejaculação precoce já previa bem antes!

A noticia foi o bastante para emocionar o fã!

A noticia foi o bastante para emocionar o fã!

Alguns fãs empolgados aproveitavam a felicidade para revelar desejos estranhos e experiências adolescentes!

Alguns fãs empolgados aproveitavam a felicidade para revelar desejos estranhos e experiências adolescentes!

Alguns noobs já previam o pior!

Alguns noobs já previam o pior!

Algumas celebridades ficaram indignadas com a transmissão do SBT.

Algumas celebridades ficaram indignadas com a transmissão do SBT.

Alguns fãs não perdoaram o patrão Silvio!

Alguns fãs não perdoaram o patrão Silvio!

Dayaninha sob efeito de psicotrópicos deu asas a sua imaginação.

Dayaninha sob efeito de psicotrópicos deu asas a sua imaginação.

O Caçador de Lendas – Edição 2

outubro 13, 2009

Olá amigos noobs, voltamos com mais uma edição de “O Caçador de Lendas” dessa vez vamos tentar desmistificar uma lenda que não é contada só aqui na IWC brasileira, mas nas outras mundo a fora.

TNA é a nova WCW?

A Nova WCW!

A Nova WCW!

Antes de tudo vamos explicar rapidamente do que se tratava a WCW.

Nos anos 80 existia uma tal de Jim Crockett Promotions, uma promoçãozinha regional ligada a NWA. Em 1988 um grande milionario da midia chamado Ted Turner a comprou e a renomeou como World Championship Wrestling, também conhecida como WCW. Mais tarde ele repassou os direitos para a Time Warner e em 2001 a federação foi para o saco,indo parar nas mãos de Vincent Kennedy Mcmahon, dono da WWE.

A TNA, Total NonStop Action também foi uma empresa filiada a NWA, mas até aí a WWE também já foi em seus primórdios. A TNA também teve parte de seus direitos cedida uma grande empresa, a Panda Energy, a diferença é que não se trata de uma empresa de mídia e sim uma empresa que almeja investir em setores de mídia. Logo o foco é diferente.

Dixie Carter é presidente da TNA e MILF

Dixie Carter é presidente da TNA e MILF

Pertencer a uma grande empresa e não a um promotor de lutas foi um fator importante para o fim da WCW. Pois quando o negócio não rendia mais eles simplesmente descartaram a parada, venderam para o maior concorrente. Será que a TNA seria uma nova WCW até esse ponto? Ir parar nas mãos de VKM?

O maior ponto de discussão e o maior desejo de muitos noobs é que comece uma nova Monday Night Wars. Uma nova guerra de audiência nas segundas feiras, uma guerra dessa vez entre TNA e WWE que eleve o nível de qualidade como aconteceu nos anos 90.

Voltando no tempo mais uma vez, quando a WCW foi comprada por Ted Turner havia um cenário diferente. Hulk Hogan havia acabado de sair da então WWF graças a um escândalo com esteroides. Mcmahon havia perdido então a sua maior estrela e é claro que Ted Turner muito do esperto contratou o Hulkster. Turner fez mais em 95, retirou as gravações do estúdio na Disney em Orlando (ó TNA) e levou o show para arenas externas, como sempre fez a WWE. O grande chefão também perguntou ao produtor executivo de seu show, Eric Bischoff o que era necessário para concorrer diretamente com a grande W, Bischoff disse que seria necessário antes de tudo, um programa de duas horas. Então Turner deu duas horas a Bischoff, em prime-time, no mesmo horário que o Monday Night RAW. Começava então a tal da guerra.

O Hulkster foi para a WCW e o bicho pegou para o Vince

O Hulkster foi para a WCW e o bicho pegou para o Vince

Falemos da TNA nesse ponto. A WCW tinha Hogan, a TNA tem Kurt Angle, considerada a maior contratação da empresa de Orlando em toda a sua história. Mas não da pra comparar, é claro que Angle tem 100 vezes mais qualidade que Hogan no ringue, afinal Hogan não tinha nenhuma. Mas Angle não tem metade da fama e carisma que o Hulkster tinha na época e ainda não tem a metade da fama e carisma do Hogan e nunca terá. A TNA também não parece ter a menor intenção, leia se condição de tirar os seus shows de Orlando. Alguns PPV’s sim, poucos ainda, mas o Impact nem pensar. O resultado que temos é aquele público chato que não passa a metade da atmosfera que tinha os antigos shows da WCW. Além disso uma guerra nas segundas feiras só pode acontecer com os dois programas acontecendo ao mesmo tempo na segunda feira. O Impact é exibido nas quintas e a emissora que transmite o show se borra só de pensar em competir com o RAW nas segundas, não tem a metade da ousadia que Ted Turner teve nos anos 90.

Ted Turner enfretava qualquer parada

Ted Turner enfretava qualquer parada

Depois de perder Hogan a então WWF começou a entrar em decadência, a grana acabou. O Hulkster mamou tudo, devia estar mais rico que o Vince. A grande W estava abrindo falência e a WCW se aproveitou muito bem disso. Primeiro tomando as estrelas do Vince como Razor Ramon, Diesel e mais tarde Bret Hart. Depois contratando todos os bons lutadores que surgiram nos EUA naquela época, além de estrelas de todo os lugares do mundo.

A TNA também contrata lutadores da WWE, mas ao contrario do que fazia a WCW eles esperam que eles saiam, briguem com o Vince, fiquem inutilizados, pensem em aposentadoria e ai sim contratam. E não precisa ter sido uma grande estrela não, pode ser qualquer um. O fator diferença também foi deixado de lado, a WCW tinha os Cruisers, os luchadores, os torneios internacionais, a TNA resolveu deixar isso de lado. Ao invés de manter um produto genuíno eles preferiram iguala-lo ao da concorrente e apesar de aumentar ligeiramente a sua audiência, está longe de se igualar ao do RAW, muito menos chegar ao nível de concorrência da WCW. Sem dizer que a WWE está longe de falir, está cada vez mais rentável, em um nível de negócio totalmente diferente.

Ex-WWE é sempre bem vindo na TNA

Ex-WWE é sempre bem vindo na TNA

O público alvo também é algo a se pensar. A WCW explorava o mesmo público alvo que a WWF, por isso conseguiu roubar esse público, contudo a WWF resolveu atingir outro público, atraindo uma grande massa e recuperando o antigo. A TNA começou buscando um público alternativo, logo atraiu os antigos fãs da finada ECW, fãs da Ring of Honor e de outras federações do circuito independente. Mas esse não é o púbico que a TNA quer, esse publico não é rentável o bastante, não lota arenas, não esgota produtos… A TNA está tentando se livrar dessa gente na verdade, mas eles insistem em ir ao Impact Zone gritar “TNA! TNA! TNA!”, “Fire Russo” entre outras coisas. Mas não consegue, simplesmente porque a TNA não tem um Hulk Hogan como a WCW teve em 95, muito menos consegue criar algo como Goldberg. A WWE tem John Cena que falem o que quiserem, carrega os lucros da empresa nas costas. A TNA ainda não encontrou algo desse tipo.

Shark Boy grande estrela da TNA sem a sua parceira Lava Girl

Shark Boy grande estrela da TNA sem a sua parceira Lava Girl

E por fim a WCW teve a NWO, foi o estopim, para o grande boom. A TNA tem lá a versão semi-aposentada da grande stable dos anos 90.

A TNA definitivamente não é uma nova WCW, está longe disso, é só uma federação tentando encontrar o seu lugar. Alguns experts costumam dizer que a WCW também começou como uma federação pequena e que conseguiu vencer a WWE durante um tempo. O que não é verdade. A WCW ainda como um dos territórios da NWA revelou grandes estrelas, proporcionou grandes espetaculos e já era uma grande federação. Teve espaço na tv antes da WWF, inclusive abrigou lutas da WWF em seus programas.

Enquanto essa ideia de nova WCW perdurar a WWE pode ficar tranquilo, ela não terá concorrência. O Vince teve grandes ideias para chega ao topo, Bischoff teve grandes ideias, a TNA também precisa de grandes ideias e eu não falo de um ringue de seis lados.

Main Event Mafia, também conhecidos com NWOld

Main Event Mafia, também conhecidos com NWOld

O Expert – Capítulo 12

outubro 9, 2009

Olá noobs! Estamos chegando a uma data muito especial, o dia de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil. Então, resolvi aproveitar a data patriótica e fazer um capítulo especial de “O Expert”, tratando de uma espécie que não é tão presente quanto às demais já destacadas, mas que também tem seu destaque. Com vocês, o Expert em Luta Livre brasileira!

Vai Brasil, carca ele!!!

Vai Brasil, carca ele!!!

O expert em luta livre brasileira pode ser de vários tipos. Começamos com os que não são propriamente fãs de luta livre, mas são experts. Estes são aqueles que falam “daquela marmelada, em que dois palhaços se fantasiam e fingem que estão brigando”. Isso faz com que os demais tipos de expert fiquem putos da vida quando ouvem falar a palavra marmelada e aqui vai um pouco de cultura que só o Universo Noob traz para você, querido leitor!
A marmelada é um purê de marmelo, cozido com açúcar em partes iguais, com o objetivo de conservar. É uma especialidade da doçaria portuguesa, sendo a mais famosa a de Odivelas (próximo a Lisboa), fabricada no antigo mosteiro pelas monjas (feminino de monge, seus ignorantes!), tendo coloração branca ou vermelha. No Brasil, a marmelada é produzida em Goiás, nos municípios de Cidade Oriental e Luziânia. Agora que você já sabe o que é marmelada, pode comer tranqüilo, sem achar que está traindo a luta livre.

Marmelada é gostoso. Pode comer sem culpa…

Marmelada é gostoso. Pode comer sem culpa…

Depois do “expert que não é expert”, passamos aos experts que realmente viram a luta livre em seus momentos áureos. O problema desses experts é que eles ou já morreram, ou estão gagás. Isso ocorre porque o auge do telecatch no Brasil foi nas décadas de 50 e 60, quando praticamente todas as emissoras de TV tinham suas equipes de luta livre. Então, se um expert deste tipo falar que foi ao Maracanã assistir a um combate valendo o título mundial, entre o campeão da WWF e o campeão brasileiro, temos que dar um desconto enorme…

3

Outro tipo de expert em luta livre brasileira é aquele que nunca viu, nem sabia que existia ou algum dia existiu luta livre no Brasil, mas descreve tudo como se tivesse estado nesta época. Estes são experts especiais, pois são aqueles que viram a WWE e resolveram migrar para outras federações, passando por TNA, ROH, japonesas, mexicanas, brigas de bar e, um belo dia, lembraram que são brasileiros. “Mas o Brasil não tem luta livre? Ah, eu lembro de vovô falando do Ted Boy Marino! Aquilo sim é que era luta livre de verdade…”. É uma coisa especial, porque o sujeito conheceu luta livre graças ao Orkut, começando pela WWE, aí a curiosidade despertou e ele resolveu procurar o Brasil neste cenário. Só que ele acaba encontrando dois lados da mesma moeda: BWF e Gigantes do Ringue. Aqui, o expert se divide.
Se ele escolheu a BWF, ele conhece os revolucionários, os que estão com idéias novas, que estão tentando reerguer a luta livre no Brasil. Este expert tem como ídolo maior Bob Jr, pela sua perseverança, por ser o homem que leva para o futuro o seu legado. Ele ama os que ainda batalham por isso, o Edgar Chiarelli, Xandão, Sônico, Rick Rogers, Cachorrão e outros. Mas a principal característica do expert em BWF é uma presente em outros tipos de experts em luta livre mundial: O ódio a Michel Serdan!

Todos contra o Homem!

Todos contra o Homem!

Michel Serdan, Antonio Aquino, “O Homem que esteve lá”, o Hulk Hogan brasileiro. Muitos são os motivos que levam uma pessoa a odiar este homem. Alguns argumentam que ele é um mentiroso, que diz que Hulk Hogan é o dono da WWE e veio ao Brasil lutar contra ele, num episódio onde pegaram um vidro, abriram e jogaram ácido na cabeça de um membro da equipe do Serdan, alem de outras histórias difíceis de se engolir. Outros odeiam o Serdan porque foi ele quem destruiu a luta livre no Brasil, mas ninguém sabe explicar por que. Simplesmente a culpa é do Serdan e pronto, o que nos leva a fazer um exercício de lógica: Se tudo de ruim no Brasil é culpa do Serdan e tudo de ruim no mundo é culpa do Triple H, Serdan é o Triple H brasileiro?

Por que tanto ódio? Serdan não tem preconceitos…

Por que tanto ódio? Serdan não tem preconceitos…

Deixando a lógica de lado e voltando ao expert que encontrou a luta livre brasileira no Orkut, aquele pode ter escolhido o lado do Gigantes do Ringue e a coisa fica muito mais simples e bonita de se ver. O expert em Gigantes do Ringue simplesmente ama Michel Serdan de paixão, pois, na visão deste expert, foi Serdan quem trouxe a WWE para o SBT, comentava com muito conhecimento e era o homem certo para comentar, pois se ele disse que já esteve lá, esteve mesmo! Além disso, Michel Serdan é o único homem que ainda tenta fazer a luta livre ser respeitada no Brasil. Ele recriou o personagem Fantomas e, com a devida autorização da WWE, usa a “música do Undertaker” e o seu jeito de entrar. Ele teve a idéia brilhante de criar um personagem chamado “Assassino de Lendas”, interpretado por seu sobrinho, Ricardo. E, ainda por cima, é um visionário, porque viu o talento de seu outro sobrinho, Kadu e transformou-o no John Cena brasileiro. Para este expert, Gigantes do Ringue é o único programa de luta livre no Brasil, talvez no mundo, e é um ótimo show, com muitas coisas interessantes acontecendo em cima de seu ringue xadrez. Este expert é tão fissurado em Michel Serdan que nem esquenta quando o GDR sai do ar de repente, sendo capaz de inventar e acreditar piamente que Serdan “saiu daquela emissora porque era pequena demais para o talento do GDR, que está negociando com uma emissora muito maior, talvez o SBT, ou quem sabe a Globo!”.

Gigantes do Ringue – A Nova Geração!

Gigantes do Ringue – A Nova Geração!

Eu deixei para o final o melhor de todos os experts, que é a maior autoridade no assunto aqui no Brasil: O expert parente de um ex lutador. Normalmente, a veracidade deste expert não pode ser atestada, já que ele aparece do nada, fala um nome de um lutador que atuou numa região do país em uma determinada década e, como ninguém são é capaz de dizer se aquele lutador realmente existiu, acabamos por acreditar que aquele expert realmente é parente do tal lutador.

gran2

Este expert se acha acima do bem e do mal e qualquer discussão que comece sobre luta livre no Brasil, ele logo coloca o nome do parente, na tentativa de encerrar a discussão. Normalmente, para ser conhecido, ele pede notícias sobre alguém de quem nunca se ouviu falar. O problema é quando encontra outra pessoa que é parente de outro grande lutador do passado e a discussão muda de rumo, passando a ser “meu pai era da equipe que tinha o fulano, o beltrano e o cicrano”, “ah, eu sei quem são fulano, beltrano e cicrano, mas meu pai sabe quem foi o cara que interpretou a Múmia em 1832, no show em Cuiabá”, “eu sei que show é esse, pois o meu pai foi quem tacou fogo nas arquibancadas, enquanto aquele personagem uruguaio tentava passar limão nos olhos do grande voador mascarado”. E a discussão vai longe, mas tão longe, que daqui a pouco os dois filhos de famosos se conhecem, são amigos de infância e por aí vai.

gran

Por fim, uma dica a você, que quer bancar este último tipo de expert. Se você tiver até 20 anos, não fale que foi seu pai, mas seu avô, o lutador famoso. Não fale que você é de São Paulo, porque seu lutador será facilmente rastreado, prefira o Sul do país ou o Nordeste. Invente nomes que usem Gran, El ou Mister ou escolha uma cidade ou região e coloque a palavra “justiceiro” ou “matador” após um nome próprio (de preferência, o seu). Exemplo: Eu sou filho do Mark, o Justiceiro de Bagé! Se a sua criatividade não estiver boa, apele para os personagens misteriosos, como a Múmia, a Caveira, Fantomas, King Kong. Fale que seu parente foi quem interpretou o personagem durante uma determinada época. Pronto, você já é um expert em luta livre nacional!
Até o próximo capítulo de O Expert!

Cortesia de quem já esteve lá

Cortesia de quem já esteve lá

*PS: Como alguns perceberão ou perceberam o artigo sofreu uma pequena alteração. Isso porque o texto foi encomendado por mim a outra pessoa. Afinal eu Kwellada não entendo bulhufas sobre o assunto mas sei que ele rende. Eu tenho já um dinheiro reservado para contratar advogados mas não quero arrumar problemas para ninguém, mas as opiniões continuam as mesmas, apesar dos que não aceitam.

Um recado para os Experts de plantão. Não se ofendam, sintam-se orgulhosos, afinal vocês fazem a nossa IWC a mais divertida de todas!

*PS 2: Caro Marcos Martins,

A internet é um local de domínio público e, tirando a hipótese de dados seus serem utilizados como sentido pejorativo, não há motivo para que isto seja enquadrado como uso indevido da imagem (não falemos em contrafação, pois não há situação de direitos autorais envolvidos).

Vou exemplificar: Você disse que sua mulher está na foto com você. Seria o caso de alguém destacar a foto de sua mulher da foto e fazer um perfil, usando de termos pejorativos para qualificá-la. Ou mesmo você, junto com ela, alguém utilizar esta foto para fazer com que os dois fossem ridicularizados.

A postagem neste espaço foi utilizada da forma como você descreveu, sem nenhuma alteração e sem o intuito de fazer com que você seja injuriado perante aqueles que acessarem este blog. Ao contrário, trata-se de brincadeiras que não utilizam termos chulos para desqualificar aqueles que aqui aparecem.

Pedimos perdão caso você tenha se sentido ofendido pela publicação, mas reiteramos que as palavras em questão foram retiradas, na íntegra, de uma publicação sua na internet, ou seja, de domínio público, podendo ser reproduzida em qualquer outro espaço.

No caso dos nomes envolvidos, da filha do lutador e do lutador em questão, não foram utilizados sem autorização, como você alega. Assim como já descrito acima, você mesmo os publicou na internet e não há que se pedir autorização para citá-los.

Fazemos estes comentários sem qualquer interesse em criar um conflito para você e os outros envolvidos, até porque sabemos que a situação não é muito boa entre você e a filha do lutador. O intuito deste blog não é criar conflitos pela comunidade afora.

Atenciosamente,

Corpo Jurídico do Universo Noob.

Estamos prontos para esclarecer qualquer duvida.

Estamos prontos para esclarecer qualquer duvida.

O Expert – Capitulo 11

outubro 2, 2009

Olá noobs voltamos com mais um capitulo de “O Expert” e eu confesso uma coisa, continuo admirado com o fato de ainda ter assunto para escrever isso. Sim, temos ainda experts de muitos tipos. E hoje tratarei do tipo de fã de luta-livre que é o grande motivo da criação desse blog. Vamos falar do Expert do Orkut.

O orkut é lugar pra todo tipo de coisa!

O orkut é lugar pra todo tipo de coisa!

A maior parte dos experts em luta-livre hoje em dia estão no Orkut. É através do Orkut que surgem os contatos, as ideias para criação de blogs é no Orkut que o expert aprimora os seus conhecimentos. Logo no Orkut você vai encontrar todos os outros tipos de experts. Mas os orkutianos tem algumas particularidades que independe de gostar de luta-livre ou não, só basta adapta-las.

A primeira coisa que você leitor desse blog precisa saber sobre o expert do orkut é que 99%, eu disse 99% são fãs incondicionais da WWE. Você pode encontrar um ou dois experts em várias outras coisas, mas no fundo é um fã da WWE. Afinal como ele chegou em uma comunidade da grande federação do Vince? Procurando assunto sobre ela. O cara pode até dizer que não é mais como no passado, mesmo que falando do passado ele esteja se remetendo as coisas que ele viu em arquivo, ou que o passado seja dois meses atrás, sim um expert saudosista, mas a verdade é que ele está ali e não sai nunca mais.

Esses fãs da WWE ao entrar nessas comunidades, com o passar do tempo sentem a necessidade de se tornarem cult, legalzões, então eles contraem a famosa síndrome de underground adquirida. O primeiro passo é começar a dizer que a WWE é uma merda (mas continua assistindo), depois ele começa a dizer que a TNA é melhor (mas continua assistindo), depois ele começa a dizer que todas as federações do mundo são melhores que a WWE (mas não assiste nenhuma outra federação, apenas a WWE) e se mantendo no assunto orkut, o expert participa de todas as federações que tenha o nome WWE no meio.

Imaginem se ele amasse!

Imaginem se ele amasse!

Como já citei a TNA então vamos falar sobre isso também. O expert em TNA também está no orkut. O problema é que o expert do orkut não consegue sair das comunidades da WWE e partir para as comunidades da TNA que conseguem ter menos membros que a WW BRASIL. Se os fãs da TNA que estão nas comunidades da WWE dia a dia estivessem nas comunidades da TNA, essas comunidades não estariam as traças.

Comunidades da TNA bombam na orkut!

Comunidades da TNA bombam na orkut!

Também foi no orkut que o termo extreme se propagou. O expert viu o nome Extreme Championship Wrestling e acreditou que era isso mesmo. Aí vendo que de extreme não tinha nada acabou indo parar no passado e ficando saudoso de uma coisa que não viveu. Foi aí que o cara não esqueceu mais essa incrivel palavra extreme. O termo se espalhou, hoje o extreme está na boca do expert. Pra se ter uma idéia quase todos os blogs pífios da IWC tem extreme no nome. Pra ver… É assim que as merdas acontecem.

O orkut é uma rede social onde você pode conhecer pessoas, manter contato com velhos amigos que você não vê a muito tempo, manter contato com pessoas que estão distantes… Ou ser algo que você não é na vida real. Essa ultima opção se encaixa em cheio no perfil de muitos experts.

Muitas pessoas montam perfis fakes apenas porque não querem ter a sua vida no Orkut. Fotos, amigos, etc… É uma questão delicada para alguns. Outros são muito feios para meter a fuça em publico desse jeito e a maioria é anti-social mesmo, mas existem coisas no orkut que lhes despertam interesse. Existem fakes que você identifica como pessoais legais e inteligentes, você percebe que existe vida por trás daquele fake, mas na maioria das vezes se trata de um imbecil mesmo. O problema é que a maioria dos experts fakes tem entre 12, 13, 14 ou 15 anos, no meio de uma discussão quando você se dá conta está bravo com um adolescente e chamando ele de AJ Styles.

Uma coisa sensacional na maioria das comunidades de luta-livre é que o assunto principal, luta livre, é na verdade totalmente secundário. Sim, outros assuntos repercutem muito mais que a luta livre. Faça um teste, abra um tópico sobre qualquer assunto relacionado ao assunto e depois abra um tópico e coloque qualquer vídeo tosco, ou levante um assunto sobre qualquer membro tosco da própria comunidade, depois compare o numero de posts. Sem dizer que é muito fácil desviar o assunto do tópico é muito fácil é só começar uma briguinha lá dentro. Quando um tópico sobre luta livre passa dos 100 posts significa que estão falando do Cena ou os membros estão brigando. Ou é claro virou tópico de punheteiro postando sacanagem. Aliás devido ao grande numero de experts adolescentes algo extremamente patético é quando aparece uma mulher em qualquer comunidade de luta-livre. Como provou o caso Dayaninha, o expert não se importa se a gatinha for o Ricardo Vampirinho, ele caí dentro.

Garoto na seca!

Garoto na seca!

Falando em fake, mulher, namoro, não tem coisa mais perturbadora do que essas comunidades de namoro fake. Amigo, imagine a quantidade de pedófilos, imagine a quantidade de Dayaninhas, imagine o cara postando gracinha em uma comunidade com um fake da Melina e imaginando… Deixa pra lá, é de dar medo. Vocês acham que alguém com fake de Ashley Capetinha é mulher? Isso é coisa de pervertido!

Medo!!!

Medo!!!

Eu poderia ficar horas escrevendo sobre experts do orkut, esse texto poderia ter duas, três, quatro partes. Afinal tem gente de todos os tipos… Os idiotas que fazem questão de aparecer na primeira pagina do post, apenas para dizer que está lendo a crônica. O idiota que após ler um texto gigante, não entende nada e o único comentário que tem a fazer é que viu um erro de português. O expert que não tem nada a acrescentar então copia o trecho e complementa com um numero embaixo. O mané que fica torcendo pra ter briga no tópico apenas para pedir para o pessoal parar de brigar.

E é claro, pra finalizar o expert dono de comunidade…

O expert dono de comunidade não gosta de luta-livre. Se você pegar as três comunidades sobre WWE com o maior numero de membros, em duas delas o dono nunca aparece, nem fã de WWE é. Em uma delas o dono criou trezentas comunidades sobre vários lutadores da WWE apenas para ter comunidades cheias, mas o mané não sabe nada sobre esses lutadores além do nome. Já o outro viu um episódio da WWE no SBT, pegou uma de suas comunidades mudou de nome e pronto, era o dono da maior comunidade da WWE no orkut.

Pra finalizar tem o expert que não gosta de luta livre. É verdade, tem um tipo de expert que entrou na comunidade da WWE, mas a onda já passou, ele nem assiste mais isso, o problema é que ele já fez amizade, gosta dos assuntos triviais das comunidades, afinal o assunto menos recorrente nas comunidades de luta livre é justamente a luta-livre. Então ele nunca sai de lá, é um dos membros mais ativos. Entre os experts ele é conhecido como “Expert Premier”.

Eu ia terminando sem falar do expert encrenqueiro que já conseguiu ser expulso de todas as comunidades de luta-livre existentes. Pelo menos já foi expulso de todas as que ele costumava postar. Sempre cria fakes para tentar voltar, vive dizendo que mudou mas acaba fazendo merda de novo. Alguns acham que isso se trata de desvio mental. Eu acredito que seja um problema de alguém extremamente ansioso!

Tem gente que não se emenda!

Tem gente que não se emenda!